Crédito: Markus Spiske/Pexels

O que é a ansiedade ecológica?

Atualizado pela última vez em agosto 24, 2023 por Ecologica Vida

Os dados sugerem que o mundo está a aquecer devido à quantidade de dióxido de carbono e outros gases com efeito de estufa na atmosfera. Como efeito secundário, o clima está a mudar, o que é conhecido como alterações climáticas ou o aquecimento global.

Conversas sobre subida do nível do marAs alterações climáticas estão a afetar a nossa saúde mental, o desaparecimento de espécies e os fenómenos meteorológicos extremos parecem estar em todo o lado. Para além das manifestações físicas das alterações climáticas, qual é o impacto das alterações climáticas na nossa saúde mental? Neste artigo, vamos explorar a eco-ansiedade, porque é que ela ocorre, quem a experimenta e como lidar com ela.

Significado de Eco-Ansiedade

A ansiedade ecológica (que não deve ser confundida com a ansiedade económica), também conhecida como ansiedade climática, refere-se ao medo e ao mal-estar que os indivíduos sentem em relação ao futuro do ambiente e do planeta. As gerações mais jovens, em particular, estão a debater-se com estas emoções.

A eco-ansiedade é definida como "uma preocupação extrema com os danos actuais e futuros no ambiente causados pela atividade humana e pelas alterações climáticas". São as noites sem dormir quando se pensa na crise climática. A sensação de afundamento ao ler sobre o derretimento das camadas de gelo. E é a culpa que sentimos ao saber que as nossas acções diárias podem afetar as gerações futuras.

Esta forma de ansiedade pode ter várias origens:

  • A tomada de consciência da escala e da complexidade das alterações climáticas e das suas soluções
  • O ataque de previsões distópicas nos media.
  • O ónus da responsabilidade que recai sobre as gerações mais jovens para encontrar soluções.

Sintomas de ansiedade ecológica

Quais são os sinais e sintomas da ansiedade ecológica? Tal como noutras formas de ansiedade, a eco-ansiedade pode manifestar-se física e emocionalmente:

  • Sintomas psicológicos: Preocupação constante, sentimentos de ansiedade e desespero, e preocupação com o futuro.
  • Problemas de saúde física: Perturbação dos padrões de sono, fadiga, náuseas e até ataques de pânico.
  • Reacções emocionais: Um profundo sentimento de perda pelas paisagens e espécies naturais que estão a desaparecer. Este sentimento pode ser acompanhado de culpa pela pegada ecológica pessoal. E o medo do que o futuro pode reservar.

A ansiedade ecológica é uma doença mental?

A eco-ansiedade não é classificada como uma perturbação mental distinta na Manual de Diagnóstico e Estatística das Perturbações Mentais (DSM-5). Este manual é amplamente utilizado para diagnosticar doenças mentais.

No entanto, este facto não diminui os sentimentos reais e profundos que os indivíduos podem sentir em relação às preocupações ambientais. As pessoas com perturbações de ansiedade são mais susceptíveis de sentir eco-ansiedade. Para muitos, a ansiedade está enraizada em acontecimentos do mundo real e em preocupações válidas sobre o futuro.

Estatísticas da ansiedade ecológica

Nos inquéritos realizados em 2018Em 2023, entre 21% e 29% dos americanos indicaram estar "muito" preocupados com o clima. Até 2023, 39% dos americanos preocupam-se "muito" com as alterações climáticas e 22% preocupam-se "bastante". Em conjunto, isto representa 61% de americanos que estão preocupados ou preocupados com o aquecimento global.

Um gráfico que mostra a percentagem de Democratas, Independentes e Republicanos que afirmam preocupar-se "muito" com as alterações climáticas entre 2000 e 2023.
Este gráfico mostra a percentagem de democratas, independentes e republicanos que dizem preocupar-se "muito" com as alterações climáticas (EUA). Curiosamente, os republicanos têm-se tornado menos preocupados com as alterações climáticas ao longo do tempo. Crédito: RCraig09/Wikipedia

Seis em cada dez americanos inquiridos (1018 adultos) acreditam que os efeitos do aquecimento global já começaram. 62% acreditam que é causado pela atividade humana e não por alterações naturais. 46% pensam que o aquecimento global será uma ameaça durante a sua vida.

Prevalência entre crianças e jovens adultos

Num inquérito realizado em 2021No âmbito de um estudo sobre as alterações climáticas, 10 000 jovens (16-25 anos) de 10 países foram inquiridos sobre as alterações climáticas. 59% afirmaram estar extremamente ou muito preocupados com o assunto. Mais de 45% dos inquiridos afirmaram que os seus sentimentos sobre as alterações climáticas tinham um impacto negativo na sua vida e funcionamento diários.

A espada de dois gumes da consciencialização

Estar informado é crucial, mas há um equilíbrio delicado. Na era dos meios de comunicação social, a constante enxurrada de previsões terríveis pode amplificar os sentimentos de desespero e desesperança. Por isso, é importante desligarmo-nos das redes sociais e das notícias e reconectarmo-nos com o momento presente.

Como lidar com a ansiedade ecológica

É importante estabelecer limites para o consumo de notícias e ser realista. Tu és uma pessoa. É verdade que uma pessoa pode pôr em marcha acções que conduzam a grandes mudanças. Mas as alterações climáticas são complexas e não vamos conseguir resolvê-las de um dia para o outro.

Há formas de lidar com os impactos psicológicos da eco-ansiedade.

Participação ativa

O primeiro passo para fazer a diferença (e para fazer qualquer coisa!) é começar pequeno. Olhe à sua volta. Talvez esteja preocupado com as alterações climáticas, mas o seu quarto nem sequer está arrumado. Comece por aí.

Está a limpar o seu quarto e apercebe-se de que a garrafa de plástico que está prestes a deitar fora pode ser reciclada. Começa por aí.

Recicla-o, mas continua a sentir-se impotente. Já viu fotografias de todo o plástico no oceano e está profundamente preocupado com a problema dos microplásticos.

OK, uma garrafa de plástico não vai fazer muita diferença. Queres fazer algo em grande. Ok, então porque não juntar-se a A limpeza dos oceanos? Têm oportunidades de voluntariado e grandes ambições. Querem remover 90% de plástico do oceano até 2040. Seria bom fazer parte disso, não é?

Uma fotografia que mostra o plástico recolhido pela The Ocean Cleanup
A limpeza dos oceanos

Pode estar a trabalhar a tempo inteiro e a criar três filhos. Não tem tempo para fazer voluntariado quando está a fazer malabarismos com tudo o resto. Isso também não faz mal. Talvez possa passar um fim de semana jardinagem com os vossos filhos.

Não tem jardim? Ensine os seus filhos a reciclar (as pilhas são muito importantes) ou como reduzir a sua pegada de carbono. Leve-os ao mercado dos agricultores e utilize sacos reutilizáveis (ou faça o seu próprio!).

Ensinar a próxima geração sobre vida sustentável não é uma tarefa fácil. É vital que o façamos. Ao mesmo tempo, está a aproveitar ao máximo o tempo de convívio com eles.

O que interessa é que pode transformar o seu medo em algo produtivo. Cada pequena ação pode e terá um efeito de ondulação. Se conhece o efeito borboleta, sabe que uma pequena ação no passado pode mudar drasticamente o futuro. Porque não acreditamos que pequenas acções no presente podem ter efeitos drásticos no futuro?

Práticas de saúde mental

Uma vez que estamos a falar de saúde mental, vale a pena mencionar as boas práticas de limpeza mental. A meditação e a atenção plena podem fazer maravilhas a uma pessoa (a mim fizeram-no). A escrita de um diário e a leitura também podem ajudar a pôr as coisas em perspetiva. Caminhar, fazer exercício e falar com amigos e familiares também são importantes.

É claro que, se achar que a sua saúde mental se está a deteriorar significativamente. Procure ajuda. Existem muitas linhas de apoio, livros, organizações e profissionais de saúde mental que podem fornecer apoio e orientação.

Não é vergonha nenhuma procurar ajuda. Nem sempre podemos fazer tudo sozinhos e, por vezes, precisamos de outros para avançar nas nossas vidas. O tratamento da ansiedade não é uma tarefa fácil.

Ligação com os outros

Não está sozinho com os seus sentimentos. A ligação a uma comunidade - local ou em linha - pode ajudá-lo a encontrar alívio.

Mas tenha cuidado. É importante não se deixar levar pelos pensamentos e opiniões do grupo (mentalidade de grupo). Lembre-se de pensar de forma crítica, como um indivíduo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Deixe o campo abaixo vazio!

Também pode gostar